Programa Oeste em Desenvolvimento promove primeiro seminário do Observatório Territorial

No dia 16 de dezembro, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), foi promovido o primeiro Seminário do “Observatório Territorial”, desenvolvido pelo Programa Oeste em Desenvolvimento (POD). O evento teve como tema: “Observatório Territorial: perspectivas, metodologias e análise de informações relevantes”.

Essa iniciativa tem por objetivo a organização e disponibilização de dados, indicadores, estudos e a sistematização de trabalhos voltados para a região de atuação do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), que abrange 54 municípios no Estado do Paraná, Brasil.

A proposta de operação desse Observatório Territorial consiste na criação de um espaço em que se tenha a disponibilização de informações estatísticas e estudos mais específicos sobre a região, de modo a ampliar o olhar que se tem sobre o território, permitindo maior assertividade na construção e elaboração de políticas públicas, auxílio no processo de decisão de empresas e famílias, assim como informações sobre a qualidade de vida das cidades e etc.

Para a disponibilização de informações estatísticas pelo Observatório Territorial do Programa Oeste em Desenvolvimento, haverá um Sistema de Informações Territoriais (SIT), com uma base de dados migrado para o PTI através de uma parceria com o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES).

No Brasil, através do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e em conjunto com diversos Institutos espalhados pelos Estados, constitui-se uma grande quantidade de estatísticas públicas disponíveis, com desagregação a nível federal e estadual. Para cerca de 10 Estados no Brasil, tem-se essas informações Sistematizadas em Banco de Dados com informações para o conjunto de municípios desses Estados (exemplos como São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais, Santa Catarina, dentre outros).

O desafio agora é que os residentes destas localidades passem a fazer uso desse banco de dados, de modo que além dos pesquisadores e acadêmicos, essas informações comecem a servir como instrumentos para tomada de decisão privada e de gestores públicos, assim como permitir maior autoconhecimento da realidade local por parte da população.

O EVENTO

Pablo Costamagna – Coordenador ConectaDEL

O evento, que ocorreu no dia 16 de dezembro de 2016, teve dois momentos. Pela manhã, uma palestra de abertura do pesquisador Pablo Costamagna, da UTN, Facultad Regional Rafaela e Coordenador do ConectaDEL América Latina, que abordou alguns conceitos sobre Desenvolvimento Territorial e o enfoque de geração de capacidades, com ênfase sobre assimilação e disseminação de informações, estudos e relatórios técnicos que sustentam os processos de desenvolvimento.

Alguns processos na gestão do desenvolvimento territorial necessitam de uma mudança de paradigmas. Nos últimos 20 anos temos avançado na reflexão teórica, na construção de produtos, porém não conseguimos os resultados que estavam previstos com o esforço humano e econômico que tivemos nesse período. Segundo Costamagna, acreditávamos que “o processo de desenvolvimento territorial é um processo técnico e passamos a uma reflexão do processo de desenvolvimento territorial enquanto processo social e político e que deve ter obrigatoriamente capacidade humana”.

Outra palestra foi proferida por Samuel Delbon, do ICEDel, também de Rafaela na Argentina. Sua exposição era o compartilhamento de suas experiências da criação, em 1997, do Instituto de Capacitação e Estudos para o Desenvolvimento Local (ICEDeL), que contribuiu para potencializar a capacitação e formação dos recursos humanos e trabalhou sobre o conjunto de fatores culturais e socioeconômicos que favoreceram o desenvolvimento da cidade e sua região.

Augusta Pelinski Raiher – Pesquisadora Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Na parte da tarde, foi composta uma mesa redonda para se debater um conjunto de informações e indicadores compilados pela pesquisadora Augusta P. Raiher da UEPG/PR. Os demais integrantes da mesa foram: Gilson de Oliveira – Pesquisador da Universidade Federal da Integração Latino Americana (UNILA/PR); Sabino Porto Júnior – Pesquisador da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS/RS) e Lucir Reinaldo Alves – Pesquisador da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE/Toledo – PR).

Os indicadores propostos abordaram o dinamismo econômico, social, ambiental e a gestão pública da região. A pesquisadora abordou a análise da dimensão social, por exemplo, dividindo-a em cinco partes: saúde, educação, segurança, cultura e bem-estar. Em relação a dimensão ambiental é difícil encontrar dados desagregados a nível municipal. Porém, pode-se utilizar outras variáveis como proxy para avaliar a dimensão ambiental.

Desse modo, após o fechamento das discussões e pertinência dos indicadores e informações debatidas, a equipe técnica do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) está sistematizando o evento, e constituindo a “Metodologia do Observatório Territorial” do Programa Oeste em Desenvolvimento.

Para mais informações, acesse nosso site: www.oesteemdesenvolvimento.com.br

Contato: flavio.rocha@pti.org.br

Filed in: Brasil, Rotador
×